No Banner to display

domingo, 19 de setembro de 2021

domingo, 19 de setembro de 2021

Série “Isso é Goiás” destaca, nas redes sociais da Alego, essa semana, a história e o potencial do município de Ipameri

A cidade de Ipameri surgiu de um arraial de agricultores fundado por Francisco José Dutra. Seus primeiros habitantes vieram da capitania de Minas Gerais que, ao chegar à cidade, ergueram uma capela em devoção ao Divino Espírito Santo.

Ipameri é destaque na campanha "Isso é Goiás"
cidade de Ipameri surgiu de um arraial de agricultores fundado por Francisco José Dutra. Seus primeiros habitantes vieram da capitania de Minas Gerais que, ao chegar à cidade, ergueram uma capela em devoção ao Divino Espírito Santo. A partir daí, as possibilidades de crescimento aumentaram o fluxo populacional da região. De acordo com informações do site da Prefeitura de Ipameri, em 1845, o arraial passou à categoria de paróquia. Em 1858, foi elevado à vila.

Uma curiosidade é que desde a sua fase primitiva, o município aparecia com o nome de “Vai e Vem”, em virtude do ribeirão que o banha e que apresenta sinuosidade, como verdadeiro vai e vem. Anos depois, começou a ser chamado de “Entre Rios”, por se localizar entre os rios Corumbá e Braço. Já em 1904, uma lei estadual mudou a denominação de Entre Rios para Ipameri, vindo de lpau-mery, que tem o significado de entre águas ou entre rios.

Dados apontam que o crescimento do município iniciou com a chegada de estrangeiros que vieram do território europeu em virtude da 1ª Guerra Mundial. Além disso, o desenvolvimento da cidade também está ligado à construção da primeira usina hidrelétrica de Goiás, em maio de 1913. Já com a chegada da linha férrea, a cidade passou por um período de transformações significativas adquirindo características e uma posição de destaque no cenário goiano.

Estrada de ferro

Com a estrada de ferro, a usina hidroelétrica e a abundante matéria-prima agropecuária, a cidade se transformou no maior e mais importante centro industrial, comercial, cultural e até financeiro da região, e de grande expressão no estado. Na época, o município recebeu indústrias de porte como de calçados, de couros, laticínios, máquinas de beneficiamento de cereais, torrefação e moagem, ladrilhos e outras. Além de atacadistas e comércio exportador para outros estados, estabelecimentos bancários e clubes sociais, faziam parte do cotidiano ipamerino.

Em meados dos anos 50, com a decadência do transporte ferroviário, a cidade sofreu um período de isolamento, época em que perdeu a maior parte de suas indústrias e do comércio de porte. Mas, o desenvolvimento voltou a acontecer a partir de meados da década de 1980, quando as estradas que ligam o município ao restante do país foram asfaltadas. A mecanização da agricultura e a eletrificação rural também contribuíram para a retomada do desenvolvimento do município.

Ipameri evoluiu com a chegada de agroindústrias, empresas comerciais e instituições de ensino superior, como a Universidade Estadual de Goiás (UEG) e o Instituto Federal Goiano (IFG), e segue em constante crescimento.

Fique atento às publicações nas redes sociais da Alego. Todo domingo tem um lugar diferente, mostrando que Goiás tem vários locais cheios de belezas e muita história. Toda semana tem postagem no FacebookInstagram e no Twitter. Acompanhe!

Agência Assembleia de Notícias
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook
Share on twitter
Share on email

Últimas notícias

Caiado participa do lançamento da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste, em Mara Rosa, no Norte goiano

Goiás atualiza orientações sobre vacinação contra Covid-19

Em Goiânia, Caiado inicia entrega de mais 250 mil cestas básicas a famílias em vulnerabilidade impactadas pela pandemia, e Goiás atinge marca de 1 milhão de donativos distribuídos

Caiado diz que consultas populares vão definir como Projeto Gênesis será implantado e destaca que prioridades são “desenvolvimento do Nordeste goiano e preservação do meio ambiente”