sexta-feira, 12 de abril de 2024

sexta-feira, 12 de abril de 2024

Odontóloga é presa após deformar pacientes

Ela executava serviços de alta periculosidade para saúde pública e estava sendo investigada após causar deformação no rosto de pacientes

Foto: Reprodução

Odontóloga foi presa por realizar procedimentos proibidos pelo Conselho Federal de Odontologia (CFO) e executar serviços de alta periculosidade para saúde pública. Ela estava sendo investigada após causar deformação no rosto de pacientes. A Polícia Civil (PCGO), além do mandado de prisão em desfavor da investigada, cumpriu ainda outros quatro mandados de busca e apreensão nos municípios de Goiânia (GO) e Santa Bárbara de Goiás (GO), em endereços ligados à investigada.

A clínica que fica no setor Oeste, em Goiânia, foi alvo de busca e apreensão, nesta terça-feira, 30, segundo a PC, em um inquérito instaurado para apurar à suspeita por crimes do exercício ilegal da profissão. A dentista e outros três colaboradores são suspeitos de realizar procedimentos cirúrgicos proibidos para a categoria profissional.

s cirurgias plásticas eram ofertadas nas redes sociais dos odontólogos por valores abaixo do mercado, como resultado tinham uma grande gama de visualizações que atraiam mais clientes para as clínicas, pelo baixo custo. Inclusive, na rede social pessoal da dentista, que possui mais de 650 mil seguidores, ela além de oferecer os procedimentos ilegais, ainda ofertava cursos que ela mesma ministrava para que outros profissionais da saúde executem tais cirurgias sob a sua “supervisão”.

Mais de 10 vitimas prestaram depoimentos à Polícia Civil, incluindo ex-funcionários. Todos confirmaram aos agentes, que a realização das cirurgias plásticas era em local inadequado, (fora do ambiente hospitalar), gerando, além de grave risco a integridade física dos clientes, poderia evoluir para uma infecção generalizada e até morte.

As pessoas que prestaram depoimento, disseram que a dentista tratava os pacientes com descaso, que não aceitava críticas ao seu trabalho e se recusava a aceitar as reclamações.

Com a apreensão do celular do estabelecimento, usado para contactar os pacientes, os policiais tiveram acesso a inúmeros casos de clientes que ficaram com o rosto deformado após realização de cirurgias com a dentista e com seus “alunos”.

Nesta primeira fase da operação da Polícia Civil de Goiás, por meio da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra o Consumidor (Decon), foram apreendidos instrumentos para realizar cirurgias, anestésico e medicamentos com data de validade vencida. Os materiais foram entregas à Vigilância Sanitária para o descarte devido.

Na primeira fase da operação, foram encontrados diversos instrumentos cirúrgicos, anestésicos e medicamentos vencidos na clínica de propriedade da investigada. Os materiais foram apreendidos e descartados pela Vigilância Sanitária, que também autuou a dentista por infrações administrativas, dentre elas, a falta do alvará sanitário do estabelecimento.

Fonte: Diário da Manhã

Publicações em Alta

PIB de Goiás cresce 4,4% em 2023 e fica acima da média nacional

Polícia Civil prende autor de homicídio e dupla tentativa de homicídio em Caldas Novas

Goiás libera vacina para toda a população no ‘Dia D’ contra influenza

Prefeitura e Câmara entregam mais de 13 mil kits escolares e pedagógicos para a Educação Municipal