quinta-feira, 30 de junho de 2022

quinta-feira, 30 de junho de 2022

Governo busca diminuir o impacto de dívidas contraídas em gestões anteriores

De acordo com o governador Ronaldo Caiado, o que a atual gestão visa com a adesão ao Regime de Regularização Fiscal é “alongar o perfil da dívida do Estado, baixar o gasto mensal e procurar por indexadores honestos.”

De acordo com o governador Ronaldo Caiado, o que a atual gestão visa com a adesão ao Regime de Regularização Fiscal é “alongar o perfil da dívida do Estado, baixar o gasto mensal e procurar por indexadores honestos.”

A declaração do governador foi dada na manhã desta terça-feira (8) à Rádio CBN durante o programa especial Café com CBN.

Segundo ele, Goiás paga atualmente juros que variam de R$230 a R$259 milhões de reais ao mês, o que soma um total de três bilhões de reais ao ano, motivo pelo ele defende a adesão do Estado ao RRF.

“Estado paga hoje por dívidas contraídas, em gestões anteriores, quando tomava-se dinheiro emprestado a qualquer indexador”, afirmou o governador.

Segundo ele, quando assumiu a gestão de Goiás, o Estado era o quarto pior Estado do ponto de vista fiscal e que dívidas no valor de um bilhão e meio de reais já foram pagas, mas que o Estado ainda deve três bilhões.

Segundo Caiado, as pessoas que hoje criticam sua gestão pela adesão ao Regime de Regularização Fiscal são as mesmas que, em gestões anteriores, apoiaram a contração de dívidas no valor de um bilhão em dólares e que foram  responsáveis  ou que apoiaram a  venda da Celg.

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Publicações em Alta

Decreto formaliza o novo Coíndice

Com 23.270 novos CNPJs, Goiás bate recorde em abertura de empresas de janeiro a agosto de 2021, melhor resultado dos últimos cinco anos

Cavalhadas em Pirenópolis serão realizadas em junho

Aprendiz do Futuro contrata cinco mil jovens em todo o Estado