No Banner to display

sexta-feira, 3 de dezembro de 2021

sexta-feira, 3 de dezembro de 2021

Goiás é modelo de governança em compras de TI no Brasil

A padronização realizada pelo Governo de Goiás para modernização de seu parque de computadores é modelo no Brasil.

A estimativa é de que somente o Governo de Goiás tenha obtido economia de aproximadamente 2,6% no valor da compra – algo em torno de R$ 2,5 milhões (Foto: Divulgação)

A padronização realizada pelo Governo de Goiás para modernização de seu parque de computadores é modelo no Brasil. O processo de compras é prática do Guia para Aquisição de Computadores e teve sua primeira ata de registro de preços publicada no Diário Oficial, ou seja, já tem fornecedor e preços definidos em âmbito nacional.

Desde então, outros órgãos da administração pública de Goiás e de outros Estados puderam aderir à ata, que originalmente previa a aquisição de 20 mil computadores (desktop, notebook e monitores adicionais) para o Governo de Goiás, num investimento total de R$ 93 milhões. Agora já são 43 solicitações de “caronas” (nome que é dado a quem faz a adesão) aprovadas, de 15 Estados, totalizando 25,6 mil equipamentos e mais R$ 161 milhões em investimento.

“A quantidade de carona se dá pelo fato de que a Sedi já realizou todos os trâmites legais para a aquisição, com fornecedor e valor escolhido. Com o processo simplificado, fica fácil para outros Estados virem com a gente”, avalia o subsecretário de Tecnologia da Informação da Secretaria de Desenvolvimento e Inovação (Sedi), Rodrigo Michel de Moraes. “Sem falar que, em âmbito estadual, esse tipo de aquisição é inédito. Só o Governo Federal utiliza política semelhante”, emenda.

Somente a Secretaria de Educação do Espírito Santo solicitou 8.135 itens no valor de R$ 30 milhões. Já a Secretaria de Saúde do Mato Grosso pediu 2.611 equipamentos, no total de R$ 14 milhões. Os órgãos públicos que quiserem aderir à ata por meio da carona podem obter mais informações no site da própria Sedi.

“Um processo de compras deste modelo, que é a licitação, leva até oito meses para ser concluído. Nós levamos um ano para desenvolver esta ata, que hoje é modelo no país e está à disposição de todos. Basta pegar carona. A burocracia é mínima, com rapidez e redução de custos”, afirma Rodrigo Michel.

A estimativa é de que somente o Governo de Goiás tenha obtido economia de aproximadamente 2,6% no valor da compra – algo em torno de R$ 2,5 milhões. Os computadores e monitores começam a ser entregues pelos fornecedores ao Estado em novembro.

Cactic

Instituída em maio de 2020, a Comissão de Análise de Contratações de Tecnologia da Informação e Comunicação (Cactic), vinculada à Subsecretaria de Tecnologia da Informação (STI), já conseguiu economia de R$ 21,4 milhões em recursos públicos. A economia diz respeito aos processos que foram aprovados pela comissão e sofreram diligências ou recomendações.

“É bom ressaltar que não existe proibição de compra. Queremos o uso racional do dinheiro do Estado. A Cactic busca mostrar a melhor forma de compra ou contratação de produtos ou serviços de tecnologia”, frisa o subsecretário Rodrigo Michel.

Instituída por meio de decreto, a Cactic é formada por seis servidores de carreira da STI. O grupo recebe a demanda de órgãos e agências públicas e faz uma pré-análise. Em seguida, é feita a validação e eventuais diligências, para que a comissão tenha conhecimento da real necessidade da aquisição de computadores, equipamentos de informática, softwares, contratação de serviços de linhas de celulares, redes fixas e links.

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook
Share on twitter
Share on email

Publicações em Alta

Goiana disputa vaga para as Olimpíadas Internacionais de Química

Jogos Abertos classificam mais equipes para fase regional

Atividades presenciais na Alego foram retomadas nessa 2ª-feira, 2, das 7 às 19 horas, podendo atingir até 50% do efetivo

Saúde faz acolhimento de novos profissionais do Programa Mais Médicos