No Banner to display

sexta-feira, 3 de dezembro de 2021

sexta-feira, 3 de dezembro de 2021

Emater e ABCZ firmam parceria em programa de recuperação de pastagens

O objetivo do projeto é reverter o crescente quadro de degradação das pastagens, implantando tecnologias já consolidadas para a melhoria da qualidade do rebanho e desenvolvimento de práticas agropecuárias sustentáveis.

Os critérios para a seleção das unidades foram o enquadramento enquanto agricultura familiar e a presença de algum nível de degradação nas áreas de pasto do estabelecimento rural (Foto: Nivaldo Ferr)

A Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater) e a Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ) firmaram na última semana um Termo de Cooperação Técnica, assinado pelo presidente Pedro Leonardo Rezende e pelo diretor de Assistência Técnica Antelmo Teixeira, para a execução do programa Integra Zebu. O objetivo do projeto é reverter o crescente quadro de degradação das pastagens, implantando tecnologias já consolidadas para a melhoria da qualidade do rebanho e desenvolvimento de práticas agropecuárias sustentáveis.

O acordo prevê a instalação de três Unidades Demonstrativas (UD) em propriedades assistidas pela Emater nos municípios de Firminópolis, Goiás e Mambaí. Nelas serão introduzidas soluções para o manejo das pastagens, como os sistemas de Integração Lavoura-Pecuária (ILP) e Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF). As estratégias adotam o cultivo consorciado, em sucessão ou em rotação, de forma que haja benefício mútuo para todas as atividades.

Segundo a assessora técnica da Emater, Ana Kássia Ribeiro, os critérios para a seleção das unidades foram o enquadramento enquanto agricultura familiar e a presença de algum nível de degradação nas áreas de pasto do estabelecimento rural. O programa também visa o melhoramento genético bovino por meio da restauração das pastagens, incorporação de raças zebuínas e utilização de touros melhoradores.

Além das UDs, será implantada uma Unidade de Referência Tecnológica (URT) na Estação Experimental da Emater em Araçu. O local servirá como modelo físico dos sistemas de ILP e ILPF para que os pecuaristas goianos possam aplicar em suas propriedades as técnicas ali demonstradas. Assim, é possível formar agentes multiplicadores e uma rede de difusão focada na inovação e na sustentabilidade agrícola.

A ABCZ irá fornecer todos os insumos necessários para a construção das unidades. Cada unidade irá receber, por hectare, três toneladas de siligesso, 400 quilos de adubo de plantio e 400 quilos de adubo de cobertura. Cabe à Emater o acompanhamento técnico durante todo o processo, a aplicação dos recursos e a instalação da URT.

“O Integra Zebu fortalece e reforça um projeto que a gente já vem trabalhando há muito tempo na Emater dentro da linha da sustentabilidade, por meio da recuperação e manejo de pastagens no Estado. Essa é uma tarefa que viemos executando porque existem muitas áreas degradadas”, acrescenta o diretor de Assistência Técnica e Extensão Rural da Emater, Antelmo Teixeira.

Integra Zebu

O último Censo Agropecuário, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostra que a área de pastagens do País é de 181 milhões de hectares e que aproximadamente 50% está degradada. Ainda conforme o levantamento, a maioria dos estabelecimentos rurais brasileiros, mais de 2,5 milhões, tem na bovinocultura sua principal atividade produtiva.

Com a missão de transformar esse cenário, o Integra Zebu foi instituído pela ABCZ, com apoio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e entidades estaduais de assistência técnica. Além de difundir novas tecnologias e promover o desenvolvimento no campo, a iniciativa está alinhada ao compromisso de reduzir as emissões de gases do efeito estufa ao incentivar práticas agropecuárias de baixo carbono.

O programa já teve adesão de quatro Estados: Minas Gerais, Goiás, Tocantins e Mato Grosso. A intenção é que seja ampliado para todas as unidades federativas por meio de cooperações técnicas junto às entidades públicas e privadas de cada região ligadas ao segmento rural. As etapas da metodologia envolvem a implantação de UDs e URTs, assistência técnica nas unidades, agenda periódica de atualizações técnicas sobre as instalações e promoção de eventos multiplicadores, como Dias de Campo, visitas técnicas, seminários e outros encontros.

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook
Share on twitter
Share on email

Publicações em Alta

Goiana disputa vaga para as Olimpíadas Internacionais de Química

Jogos Abertos classificam mais equipes para fase regional

Atividades presenciais na Alego foram retomadas nessa 2ª-feira, 2, das 7 às 19 horas, podendo atingir até 50% do efetivo

Reconhecer e valorizar