No Banner to display

domingo, 17 de outubro de 2021

domingo, 17 de outubro de 2021

Em Brasília, Caiado participa de Convenção Nacional do DEM, que estabelece fusão com PSL e cria novo partido, o União Brasil, com foco na “defesa intransigente da democracia”

Sigla terá maior bancada da Câmara Federal, com 82 deputados, além de quatro governadores e oito senadores. “Democratas e o PSL juntos têm aquilo que nós sabemos: espírito público, garra e coragem.

O governador Ronaldo Caiado durante Convenção Nacional do DEM, que estabelece fusão com PSL e cria novo partido, o União Brasil: “O Democratas não chega com números. Ele chega com a experiência de todos os seus representantes”

O Brasil tem jeito e tem rumo”, destaca governador durante ato. “Trata-se de um movimento harmônico, visto que as duas legendas nutrem ideais e propostas convergentes para o país”, diz presidente do União, deputado Luciano Bivar (PE). Para secretário-geral, ACM Neto (BA), sigla “reflete princípios como valor da democracia, do Estado como garantidor de direitos básicos, da liberdade para realização individual e da família como esteio da sociedade”

“Criamos a maior ferramenta política instalada no País”, proclamou o governador Ronaldo Caiado, nesta quarta-feira (06/10), em Brasília, durante anúncio do União Brasil, legenda que nasce da fusão do Democratas e do Partido Social Liberal. A sigla terá a maior bancada da Câmara Federal, com 82 deputados, além de quatro governadores e oito senadores. O presidente da legenda será o atual líder do PSL, deputado Luciano Bivar (PE), e a secretaria-geral ficará com ACM Neto (BA), que hoje comanda o DEM. O partido será pautado, segundo ele, “pela defesa intransigente da democracia como princípio fundamental e inegociável, garantidora da tolerância, pluralidade, respeito e diálogo”.

“O Democratas não chega com números. Chega com a experiência de todos os seus representantes”, afirmou Caiado durante a convenção. Ele foi empossado como um dos vice-presidentes da Comissão Executiva Nacional Instituidora do União Brasil e destacou ainda que a fusão aglutina princípios comuns aos dois partidos. “O Democratas e o PSL juntos têm aquilo que nós sabemos: espírito público, garra e coragem. O Brasil tem jeito. O Brasil tem rumo”, pontuou. O goiano, que é presidente do DEM estadual, também apresentou alguns dos motes da nova sigla: “Combate à fome, à corrupção, ao desemprego e, ao mesmo tempo, trazer esperança e dignidade ao povo brasileiro”.

Bivar disse que o novo partido surge inspirado em modelos que já deram certo, e fez menção ao Iluminismo, ocorrido no século XVIII, na França. “Lembrem-se que a história da humanidade é cíclica e que a natureza do homem pode levar-nos a caminhos perigosos”, alertou. “Vivemos tempos difíceis, poderes estranhos fustigam a democracia a todo momento. Mas nós, representantes legítimos do povo, precisamos atuar por meio de partidos políticos para que a democracia prevaleça”, continuou o presidente da nova sigla. “Trata-se de um movimento harmônico, visto que as duas legendas nutrem ideais e propostas convergentes para o país”, analisou.

O União Brasil, nas palavras de ACM Neto, já nasce expressivo, de posição formada e cujos valores são imutáveis e inegociáveis. “Nossas principais ferramentas serão o diálogo, a transparência, o compromisso com a palavra empenhada, a excelência na formação de nossos quadros políticos, a prioridade absoluta do interesse coletivo e, é claro, o amor pelo nosso país”, resumiu o secretário-geral do novo partido.

Ainda de acordo com ACM Neto, o União Brasil reflete princípios como o valor da democracia, do Estado como garantidor de direitos básicos, da liberdade para realização individual e da família como esteio e base da sociedade.

A nova sigla deve ser reconhecida pelo número 44 nas urnas eletrônicas. A próxima etapa do processo de junção entre DEM e PSL será o encaminhamento da formalização ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para que, em sequência, ocorra o estabelecimento da legenda. O União Brasil surge já no primeiro lugar em verbas do Fundo Eleitoral (R$ 320 milhões) e do Fundo Partidário (R$ 138 milhões). Possui, também, o maior tempo de TV para as campanhas eleitorais. A expectativa das executivas nacionais de DEM e PSL é de ainda mais crescimento após o estabelecimento da nova legenda, visando o pleito de 2022.

“Ninguém está criando um partido para ter alguém subordinado. Nós temos brasileiros que sabem conversar, dialogar, ter a humildade para dizer qual é o melhor momento para enfrentarmos as crises e quais são as ferramentas que devemos usar. É desta maneira: dialogando”, explicou Caiado sobre o funcionamento do União Brasil, relembrando seus tempos de parlamento.

“Aprendi muito na minha vida. Fui parlamentar por seis mandatos, deputado e senador. No Congresso Nacional, você aprende que, quando se é deputado federal, você é um entre 513. Se não governar ouvindo as pessoas, todos os poderes constituídos e tendo simplicidade para saber da vida como ela é, você não tem condições de ter apoio da população”, reforçou Caiado.

“Vamos dedicar tempo e bom senso para procurarmos o melhor caminho, a melhor saída para todos os estados, a fim de que o União Brasil chegue, em 2022, com possibilidade de ser o partido mais vitorioso nas urnas”, afirmou ACM Neto. Na visão do dirigente, é necessário engajamento. “Nosso desejo é que, a partir de agora, a gente pense, raciocine como União Brasil. Quero trazer uma palavra de tranquilidade de que todos os envolvidos no processo de entendimento com o PSL estarão em busca de soluções positivas para cada Estado do nosso país”, pontuou.

O democrata e senador da República pelo Amapá, Davi Alcolumbre, subiu ao palco para ler uma carta do seu sucessor na gestão do Senado Federal, o também democrata, mas por Minas Gerais, Rodrigo Pacheco. No texto, o atual presidente do Senado deseja que a união gere frutos não apenas para a agremiação política, mas também para o país, que “precisa avançar sem demora na consolidação de uma sociedade plena, justa e desenvolvida”.

“Este movimento singular e ímpar na vida republicana, com o inestimável apoio de grandes lideranças, lançará as bases as quais se erguerá uma pauta fundante de uma nova ordem partidária, com a capacidade e a capilaridade para fazer a esperada representação dos anseios da sociedade”, diz a carta de Pacheco.

Representantes do Congresso Nacional, a líder da bancada do PSL no Senado Federal, senadora Soraya Thronicke, e o líder do DEM na Câmara dos Deputados, Efraim Moraes Filho, ressaltaram a união por meio das diferenças no novo partido. “Continuarei incentivando a participação de mulheres na política, como já tenho feito em todo o período em que estou à frente do PSL Mulher nacional. Temos ganhado cada vez mais protagonismo em todos os setores da sociedade. Por isso, é hora de nos ajudarmos, de nos orgulharmos e olharmos para outras mulheres como possibilidade de serem nossas representantes em todos os níveis da política”, disse Thronicke. “É um movimento estratégico e inteligente do ponto de vista político. É uma união pelas diferenças que fazem parte deste todo, devem ser respeitadas, toleradas. É isso que o União Brasil representa”, definiu Efraim.

Deputado federal por Goiás e presidente estadual do partido, Delegado Waldir relembrou, durante o evento, a aprovação da reforma eleitoral, em 2017, que previa a diminuição no número de partidos políticos. Para ele, a fusão entre PSL e DEM abre precedente de modelo que, em breve, outros partidos deverão seguir, pois não conseguirão montar, com facilidade, chapas de deputados federais e estaduais. “A gente caminha para um enxugamento partidário que é muito importante para, amanhã, o Executivo poder governar com mais facilidade”, concluiu ele.

Fotos: Cristiano Borges

 

 

 

 

 

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook
Share on twitter
Share on email

Publicações em Alta

Expresso Balcão capacita servidores de 12 municípios

Polícia Penal registra aumento de apreensões de K4, conhecida como supermaconha

Caiado anuncia isenção da contribuição previdenciária de aposentados e pensionistas com salário de até R$ 3 mil e redução da cobrança para os que recebem acima desse valor

Operação integrada apreende 200 kg de cloridrato de cocaína