No Banner to display

sexta-feira, 22 de outubro de 2021

sexta-feira, 22 de outubro de 2021

Colaboradores do Hutrin acolhem e acompanham pacientes

O trabalho desses profissionais vai muito além da indicação de direções ou lugares.

Equipe do "Posso Ajudar?" acompanha entrada de pacientes na unidade do Governo de Goiás (Foto: Camila Braunas/Imed)

O paciente que chega ao pronto-socorro do Hospital de Urgências de Trindade (Hutrin) é recebido pelos profissionais do serviço “Posso Ajudar?” A interação olho no olho com a pessoa que precisa de atendimento médico é o primeiro passo para que o tratamento tenha sucesso na unidade do Governo de Goiás.

O trabalho desses profissionais vai muito além da indicação de direções ou lugares. Os colaboradores recepcionam as pessoas, informam sobre os protocolos de atendimento do hospital, tiram dúvidas, aplicam um breve questionário para registrar informações do paciente, praticam a escuta ativa, acolhem e acompanham o paciente da chegada até o efetivo atendimento.

A equipe do Posso Ajudar? atua no pronto-socorro (externa) e na área interna do Hutrin, ao orientar também os familiares nas enfermarias e na clínica Covid-19. A unidade hospitalar tem como missão o atendimento humanizado de qualidade e o desenvolvimento de projetos, campanhas e ações que reforçam o compromisso de entregar o melhor serviço à comunidade local e entorno.

A jovem aprendiz Amanda Cristina Silva Cordeiro, que atua no serviço, conta que ao receber os pacientes aplica um breve questionário. São perguntas simples e diretas que auxiliam o atendimento dos médicos. “Grande parte das pessoas chega com alguma dor ou mal-estar. Conversamos, com paciência, educação e carinho, para coletar o máximo de informações possível e deixamos claro que aquela ação é para ajudar no momento da consulta.”

Ao estabelecer contato com o paciente, vínculos se criam e o acolhimento acontece naturalmente elevando a confiança dos pacientes. “Quando as pessoas retornam na unidade, já nos chamam para conversar, pedem ajuda e informações. Elas também fazem elogios, apontam melhorias e nos contam que a função do Posso Ajudar? é importante. Esse retorno é muito gratificante para nós”, relata também a jovem aprendiz Kamily Alves de Oliveira Santos.

Idosos e crianças estão entre os acolhimentos que manifestam maior satisfação com o atendimento na unidade. “Estamos à disposição para ouvir, mas principalmente, acolher as pessoas que chegam ao Hutrin, define o supervisor da ouvidoria, Afonso Teles Barros da Silva, que também atua no Posso Ajudar?

Muitas vezes, o que o paciente quer mesmo é ser ouvido, como no caso dos idosos. Eles se sentem melhor ao saber que vamos escutá-los a ajudar no quer for preciso. Fazemos um atendimento humanizado com cuidado e qualidade”, acrescenta o supervisor.

“Temos um retorno muito positivo desse serviço. O trabalho que os profissionais desenvolvem é muito importante para a comunidade e faz parte da nossa missão de receber da melhor forma possível todos que precisam de atendimento médico”, destaca o diretor do Hutrin, Getro de Oliveira Pádua.

Canais de comunicação

Para mais informações busque o serviço de ouvidoria:

Telefone: (62) 3110-8757 e [email protected]

Presencial e cartas: Rua 3, nº 200, Jardim Primavera, Trindade (GO) – CEP: 75.390-334

Horários de Atendimento: De segunda a quinta-feira, das 8h às 18h e sexta-feira das 8h às 17h *exceto feriados/horário de almoço – 12h às 13h

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook
Share on twitter
Share on email

Publicações em Alta

Após nova onda de Covid-19, Prefeitura de Caldas Novas endurece medidas de contágio da doença

Meio Ambiente leva audiências de autocomposição para Itumbiara

Prefeitura e Câmara se unem em Caldas Novas e consolidam parceria para construção de Hospital Evangélico no município

Goiás Turismo abre licitação para investimentos no Caminho de Cora