No Banner to display

sexta-feira, 19 de julho de 2024

sexta-feira, 19 de julho de 2024

No Banner to display

Agrodefesa alerta produtores rurais para efetuarem o recadastramento de senha no Sistema de Defesa Agropecuária de Goiás

Medida visa garantir a segurança dos dados dos usuários e prevenir o uso irregular das informações para tentativa de ações fraudulentas, como movimentações falsas de animais e crimes contra os sistemas fiscal e tributário

Sidago pode ser acessado tanto pelo smartphone quanto pelo computador para realizar o recadastramento de senha

A Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa), órgão do Governo de Goiás, alerta os produtores rurais e demais usuários do Sistema de Defesa Agropecuária de Goiás (Sidago) a se atentarem à segurança de seus dados de login e senha para acesso à plataforma. Desde janeiro deste ano, os usuários que entram no sistema recebem uma mensagem solicitando a alteração de senha. O pedido é em razão de possibilidade do uso irregular dos dados de acesso, por terceiros, para tentar realizar ações fraudulentas junto aos sistemas fiscal e tributário estaduais, a exemplo de declarações falsas e movimentações de animais indevidas.

Esse tipo de medida preventiva é realizada, principalmente, por sistemas que possuem grande volume de uso e podem ser alvos de tentativas de fraude, como é o caso de redes bancárias e do próprio Sidago. “Nosso Sistema de Defesa Agropecuária, o Sidago, possui uma série de componentes de segurança, assim como um sistema bancário, pois contém informações que são utilizadas pelo Fisco e demais órgãos fazendários para monitorar questões legais ligadas a patrimônio e sanidade”, ressalta o presidente da Agrodefesa, José Ricardo Caixeta Ramos. “O que acontece é que muitas vezes o produtor rural, que possui usuário e senha, repassa esses dados a terceiros que podem, de posse dessas informações, utilizá-las de má-fé para tentar burlar a fiscalização. Isso é crime e por isso alertamos nosso usuário, produtor, para que não repasse esses dados a terceiros e a cada seis meses faça a troca de senha no Sistema”, reforça.

Medidas
Existem duas situações que podem levar a fraudes no Sidago e, consequentemente, ao sistema sanitário, fiscal, tributário estadual e federal. A primeira delas é quando o produtor ou utilizador do sistema repassa seu usuário e senha a terceiros que podem fazer uso de má-fé para burlar informações de movimentação de animais ou declarações de patrimônio.

Já a segunda possibilidade é quando o próprio produtor manipula as informações para se autobeneficiar, como uma declaração maior de animais para simular uma garantia falsa de patrimônio para obter empréstimos, por exemplo. “Em ambos os casos, o Governo de Goiás está trabalhando para identificar e punir os autores e responsáveis. Essa ação da Agrodefesa protege nossos produtores que estão corretos do ponto de vista sanitário e legal, bem como também a sociedade como um todo que pode ser lesionada por pessoas má intencionadas, atuando em crimes fiscais e tributários”, complementa.

Para evitar problemas como esse, a Agrodefesa recomenda medidas de segurança semelhantes a uma pessoa de posse de um cartão de banco:
• Jamais repassar dados como usuário, e-mail e senha do Sidago a terceiros;
• Atualizar sempre os seus dados cadastrais, como e-mail, telefone celular ou endereço no próprio sistema ou na unidade da Agrodefesa (esses dados são importantíssimos para a agência investigar casos de suspeita de fraude);
• Ao cadastrar sua senha, não usar data de nascimento, informações pessoais como número de telefone ou nomes de pessoas próximas que podem facilmente serem testadas por terceiros;
• Caso encontre alguma suspeita de irregularidade no acesso à sua ficha ou vazamento de sua senha, comunique a Agrodefesa do fato e altere sua senha imediatamente.

Monitoramento constante
Além de orientar sobre a necessidade de atenção ao uso de login e senha, a Agrodefesa monitora constantemente qualquer possibilidade de fraude utilizando dados dos usuários do Sidago. Em caso de divergência em informações, as equipes são acionadas para verificar e confirmar os dados informados no Sistema.

O diretor de Defesa Agropecuária da Agrodefesa, Augusto Amaral, informa que à medida que suspeitas de casos de informações fraudulentas são identificadas no Sidago, a Agência notifica a Polícia Civil e a Secretaria da Economia para que sejam investigados. “A Agrodefesa e o Governo de Goiás, de forma ampla, têm por premissa fundamental o combate à corrupção. Sabemos que fraudes podem trazer prejuízos não só fiscais, mas também sanitários e econômicos e é por isso que sempre vamos a fundo para identificar e punir os envolvidos, incluindo autores dos crimes e aqueles coniventes às fraudes”, reforça.

Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa) – Governo de Goiás

Publicações em Alta

Polícia Civil prende autor de homicídio e dupla tentativa de homicídio em Caldas Novas

Equatorial Goiás troca 200 chuveiros em Morrinhos

Prefeitura de Caldas Novas espera receber 150 mil pessoas no Feriado de Tiradentes

Educação abre período de matrículas para 2024

No Banner to display