domingo, 3 de julho de 2022

domingo, 3 de julho de 2022

Programa de educação continuada do HMI capacita colaboradores

Qualificação em Inserção, Manutenção e Retirada do Cateter Central de Inserção Periférica (PICC) é oferecida a profissionais da unidade do Governo de Goiás

Profissionais do Hospital Materno-Infantil durante uma das abordagens da qualificação sobre o PICCD. Dispositivo vascular amplamente utilizado nos pacientes que necessitam de uma terapia prolongada (Foto: Marilane Correntino)

Qualificação em Inserção, Manutenção e Retirada do Cateter Central de Inserção Periférica (PICC) é oferecida a profissionais da unidade do Governo de Goiás. O PICC é um dispositivo vascular amplamente utilizado nos pacientes que necessitam de uma terapia prolongada. O uso está associado a um menor risco de complicações mecânicas e infecciosas

Enfermeiros, residentes de enfermagem e médicos do Hospital Estadual Materno-Infantil Dr. Jurandir do Nascimento (HMI), por meio do programa de Educação Continuada de Enfermagem, realizaram na terça e quarta-feira (8 e 9), o curso de qualificação em Inserção, Manutenção e Retirada do Cateter Central de Inserção Periférica (PICC) Neonatal, Pediátrico e Adulto.

O PICC é um dispositivo vascular amplamente utilizado nos pacientes que necessitam de uma terapia prolongada (acima de seis dias), infusão de drogas irritantes e vesicantes, assim como nos que recebem medicação ambulatorial. Seu uso está associado a um menor risco de complicações mecânicas e infecciosas.

O curso ocorreu nos períodos matutino e vespertino e contou com uma parte teórica e outra prática. A parte teórica foi ministrada pelas enfermeiras Ana Cláudia Pires, que fez uma introdução ao assunto, abordando os aspectos éticos e legais da utilização do PICC.

Amanda Santos falou sobre o histórico do cateter, dispositivos venosos convencionais, indicações, contraindicações, vantagens e desvantagens, e Lílian Jerônimo detalhou sobre a manutenção, complicações e protocolo institucional do PICC.

Simulação

Já a parte prática foi aplicada pelas enfermeiras Rosa Canguçu, Michele Alves e Rosimary Barros. Os profissionais puderam ver e realizar a técnica do preparo da pele, preparo do material, inserção, fixação, troca de curativo e retirada do PICC, por meio da simulação das etapas do procedimento, em bonecos específicos. Ao final, foi aplicada uma prova aos participantes.

A capacitação contou com 14 participantes, que ficaram satisfeitos com o conteúdo das aulas. “Para nós, que trabalhamos com o paciente, é muito importante conhecer a parte legal e ética, para aplicar no dia a dia”, disse a colaboradora Kellia Andrade.

“Temos que ter um olhar clínico para ver o que é melhor para o paciente e tomar decisões assertivas”, destacou Kamila Kley.

“A parte prática do curso foi fundamental. Quando podemos contar com profissionais experientes e competentes, isso nos ajuda a sintetizar a técnica, dando confiança para a execução do procedimento”, avaliou Ricardo Camargo.

“É muito importante o curso de qualificação e atualização da equipe. Além de ajudar na compreensão global do procedimento, trabalha a humanização no atendimento ao paciente, contribuindo para o aperfeiçoamento da qualidade da assistência prestada pela equipe de enfermagem”, ressaltou a gerente de enfermagem, Luzia Helena Berigo.

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Publicações em Alta

Novo Mapa do Turismo em Goiás conta com 92 municípios

Rio Quente é uma ótima opção para o próximo feriado

Vereadores suplentes assumem mandato em Caldas Novas

Hcamp de Itumbiara registra 71 pacientes curados da Covid-19 em 9 dias