No Banner to display

sexta-feira, 22 de outubro de 2021

sexta-feira, 22 de outubro de 2021

Agrodefesa divulga status oficial do cancro cítrico em Goiás

O cancro cítrico é considerado como uma das doenças bacterianas mais prejudiciais à cultura dos citros, devido ao alto potencial de disseminação e difícil controle, podendo ocasionar a necessidade da erradicação total do pomar.

A Agrodefesa, anualmente, realiza levantamento fitossanitário da praga quarentenária cancro cítrico (Xanthomonas citri pv. citri) (Foto: Divulgação)

O cancro cítrico é considerado como uma das doenças bacterianas mais prejudiciais à cultura dos citros, devido ao alto potencial de disseminação e difícil controle, podendo ocasionar a necessidade da erradicação total do pomar. Em Goiás, atualmente a praga se encontra “sob erradicação” em áreas não comerciais nos municípios de Itajá, Jataí e Lagoa Santa, sob “sistema de mitigação de risco” em área comercial no município de Inaciolândia e “área sem ocorrência” nos demais municípios goianos.

Fiscais Estaduais Agropecuários têm executado as ações de monitoramento da praga sob a coordenação da Gerência de Sanidade Vegetal da Agrodefesa, onde as servidoras Mariza Mendanha e Fernanda Faganello tem trabalhado na elaboração de medidas de prevenção e controle da praga em Goiás, bem como de procedimentos de certificação para comercialização interestadual, intraestadual e internacional.

Nesse sentido, o presidente da Agrodefesa, José Essado, publicou a Instrução Normativa nº 04, de 17/06/2021, com o objetivo de regulamentar o trânsito de mudas e frutos cítricos de modo a evitar a disseminação da praga e o conseqüente comprometimento da citricultura goiana.

A Gerente Daniela Rézio, alerta a sociedade e todos os envolvidos na produção de citros em Goiás, sobre a importância da aquisição de mudas oriundas de viveiros devidamente registrados no Ministério da Agricultura e fiscalizados pela Agrodefesa. Ela explica que que de modo algum deve-se adquirir mudas do comércio ambulante por não terem procedência sanitária e estarem sujeitas ao risco de disseminação de pragas.

Aqueles produtores que tiverem interesse em adquirir mudas de outras unidades da federação devem inicialmente estar cadastrados no Sistema de Defesa Agropecuário de Goiás (Sidago) no site da Agrodefesa (www.agrodefesa.go.gov.br), e preencherem o formulário eletrônico “Autorização para Aquisição de Mudas”.

Unidades Móveis de Fiscalização da Agrodefesa, se encontram vigilantes ao trânsito de mudas e frutos cítricos, os quais devem estar devidamente acondicionados em cargas protegidas e acobertadas por documentações fitossanitárias como: a Autorização do Trânsito Vegetal (ATV) para trânsito interno e Permissão de Trânsito Vegetal (PTV) para trânsito externo, ou seja, para fora do Estado de Goiás.

Todos esses cuidados são importantes para preservar a citricultura e a economia agrícola goiana, portanto, em caso de suspeita da ocorrência da praga, aquisição de mudas sem procedência fitossanitária, e comércio ambulante de mudas, denúncias no Disque Denúncia da Agrodefesa pelo nº 0800-6461122.

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook
Share on twitter
Share on email

Publicações em Alta

Após nova onda de Covid-19, Prefeitura de Caldas Novas endurece medidas de contágio da doença

Meio Ambiente leva audiências de autocomposição para Itumbiara

Em Porangatu, Caiado anuncia ampliação do Projeto da Cerveja de Mandioca e pequenos agricultores do município podem vender produção para Ambev

GoiásFomento financia crescimento da produção de cervejaria artesanal goiana