No Banner to display

sexta-feira, 3 de dezembro de 2021

sexta-feira, 3 de dezembro de 2021

Educação: governo paga Auxílio-Aprimoramento e reajuste salarial

Por determinação do governador Ronaldo Caiado, o aumento salarial também será concedido aos inativos, aposentados e pensionistas da Educação.

O aumento salarial também será concedido aos inativos, aposentados e pensionistas da Educação. Os índices seguirão os mesmos critérios adotados no cálculo dos vencimentos dos servidores na ativa (Foto: Secom)

O Governo de Goiás pagará, na folha de outubro, a professores e servidores administrativos da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), o Auxílio-Aprimoramento, no valor de R$ 500, e o reajuste de 4,52% para professores P1, P2, do quadro transitório e com contratos temporários e de 7,20% para professores P3, P4 e servidores administrativos, efetivos ou com contratos.

Por determinação do governador Ronaldo Caiado, o aumento salarial também será concedido aos inativos, aposentados e pensionistas da Educação. Os índices seguirão os mesmos critérios adotados no cálculo dos vencimentos dos servidores na ativa. Nessa categoria, receberão o reajuste 34.860 servidores.

A iniciativa do Governo de Goiás, de acordo com Caiado, é uma forma de reconhecer o trabalho de professores e administrativos que, desde o início da pandemia da Covid-19, têm se esforçado para manter os bons resultados educacionais da rede pública estadual. “É um time ao qual eu agradeço todo dia porque revolucionou a Educação no Estado de Goiás”, destacou o governador.

O reajuste de professores e servidores administrativos está previsto na Lei estadual nº 21.085, de 13 de setembro de 2021. A proposta enviada pela Governadoria à Assembleia Legislativa de Goiás, por meio do projeto de lei nº 6963/21, foi aprovada em 09 de setembro deste ano.

De acordo com a Secretaria de Estado da Administração (Sead), o reajuste salarial acarretará um impacto financeiro anual da ordem de R$ 70.071.362,73. Por mês, o impacto será de R$ 23.357.120,91, a partir de outubro de 2021. Já para 2022 e 2023, a estimativa de impacto nos cofres estaduais será de R$ 280.285.450,90.

Diferenças nos índices

A secretária de Educação, Fátima Gavioli, explicou que a diferença entre os percentuais de correção [de 4,52% para professores P1 e P2 e de 7,20% para professores P3 e P4] se justifica em função da correção salarial que já havia sido realizada em dezembro do ano passado para professores P1 e P2, do Quadro Permanente, e de professor assistente (PAA, PAB, PAC e PAD, do Quadro Transitório).

O índice do reajuste, à época, foi de 12,84%. Ao todo, 9.836 profissionais da Educação, entre ativos e inativos, foram beneficiados com a medida. Seguindo a determinação do governador Ronaldo Caiado, a atualização dos vencimentos foi retroativa a 2020, sendo que os valores referentes ao período de 1º de janeiro de 2020 a 31 de dezembro de 2020 foram pagos em única parcela.

Valorização

O reajuste salarial para professores e servidores administrativos da Secretaria de Educação do Estado foi anunciado pelo governador Ronaldo Caiado e pela secretária Fátima Gavioli no dia 17 de agosto deste ano, durante entrevista à Rádio CBN Goiânia.

A medida faz parte da política de valorização profissional que vem sendo executada desde 2019 e que inclui também o pagamento de bônus, ajuda de custo e, mais recentemente, a criação do Auxílio-Aprimoramento Continuado.

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook
Share on twitter
Share on email

Publicações em Alta

Goiana disputa vaga para as Olimpíadas Internacionais de Química

Jogos Abertos classificam mais equipes para fase regional

Prefeitura de Caldas Novas não realizará eventos de fim de ano

Em Lagolândia, distrito de Pirenópolis, Governo de Goiás e OVG entregam benefícios sociais a famílias desabrigadas durante enchente