No Banner to display

sexta-feira, 22 de outubro de 2021

sexta-feira, 22 de outubro de 2021

Aruanã e Bonfinópolis terão escolas estaduais de tempo integral

A partir do segundo semestre deste ano, os municípios de Aruanã e Bonfinópolis terão suas primeiras escolas de tempo integral na rede pública estadual de ensino.

De acordo com o Ideb, os estudantes de escolas de tempo integral apresentam maiores taxas de aprovação e melhor desempenho em Língua Portuguesa e Matemática (Foto: Seduc)

A partir do segundo semestre deste ano, os municípios de Aruanã e Bonfinópolis terão suas primeiras escolas de tempo integral na rede pública estadual de ensino. O Colégio Estadual Dom Cândido Penso, em Aruanã, e o Colégio Estadual Presidente Castelo Branco, em Bonfinópolis, serão convertidos em Centros de Ensino em Período Integral (Cepis), com jornada escolar de 9 horas diárias, três refeições por dia e currículo dinâmico e flexível.

A gestora do Colégio Estadual Presidente Castelo Branco, de Bonfinópolis, Glauciene Leonel, afirmou que a equipe escolar tem conversado com os pais e estudantes para mostrar como a proposta da Educação em tempo integral será benéfica para os alunos, especialmente no que se refere ao Projeto de Vida e ao Protagonismo Juvenil.

“Não foi fácil no primeiro momento, porque somos uma escola de Ensino Médio, e alguns alunos do interior trabalham. Mas a equipe abraçou a causa e tem feito Lives e trabalhos de conscientização com esses pais”, contou a gestora da unidade de Bonfinópolis.

Já em Aruanã, o grande gancho foi a possibilidade de cursar um Ensino Médio de alta qualidade que atraiu os alunos para a escola. “Aruanã é uma cidade muito pequena, em que muitos jovens ficam vulneráveis, sem emprego. Por ser uma cidade turística, a maioria tem trabalhos temporários, quando aparece algo para fazer”, contou a gestora Maria Godoi. “A proposta de tempo integral acabou se tornando atrativa porque dá condição de fazer um Ensino Médio melhor, para se capacitar para o mercado de trabalho e entrar na faculdade”, contrapôs a diretora do Colégio Estadual Dom Cândido Penso.

Meta do Plano Nacional de Educação

A ampliação do número de Cepis atende à meta 6 do Plano Nacional de Educação e à meta 3 do Plano Estadual de Educação, que visam a oferecer Educação de tempo integral em, no mínimo, 50% das escolas públicas e atender, pelo menos, 25% dos alunos da Educação Básica, até 2024. A rede estadual de ensino em Goiás possui atualmente 151 escolas de tempo integral e está em processo de implantação de mais 13 unidades para o segundo semestre.

De acordo com o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), principal indicador da qualidade da Educação no Brasil, os estudantes de escolas de tempo integral apresentam maiores taxas de aprovação e melhor desempenho em Língua Portuguesa e Matemática. Eles também têm maior chance de ingressar no Ensino Superior, segundo uma pesquisa do Instituto Sonho Grande.

“Enquanto a média do Ideb da rede estadual é 4,7, no Ensino Médio, a média das escolas de tempo integral nessa fase é 5,2. No Ensino Fundamental II, a média da rede é 5,4, enquanto a das escolas de tempo integral é 5,8”, afirmou a superintendente de Educação Integral da Seduc, Márcia Rocha.

Outros diferenciais

Ainda de acordo com a superintendente, o modelo de ensino em tempo integral não consiste apenas em passar mais tempo na escola. O foco do Cepi é o desenvolvimento integral do estudante, em todas as suas dimensões: intelectual, física, emocional, social e cultural. E com mais tempo disponível na escola, é possível trabalhar a Educação integral de forma mais aprofundada.

Márcia Rocha também explica que, durante o dia na escola, o aluno não participa somente de aulas teóricas, mas também de práticas de laboratório, projetos científicos e clubes juvenis. Ao longo do ano, o estudante é acompanhado por um professor tutor, que irá auxiliá-lo nos estudos e no desenvolvimento de seu projeto de vida.

O projeto de vida é o plano que o estudante constrói para seu futuro pessoal, acadêmico e profissional, com metas, objetivos e sonhos. Esse plano é o tema de um componente curricular próprio, na 1ª e na 2ª séries do Ensino Médio, mas também é o fio condutor de todas as aulas e atividades do Cepi.

Outro diferencial da escola de tempo integral é seu currículo dinâmico e flexível, que dá mais autonomia ao aluno em relação a seu estudos. Além dos componentes curriculares obrigatórios, a escola oferece componentes curriculares que são escolhidos pelo estudante de acordo com seus interesses e afinidades, em diferentes áreas do conhecimento.

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook
Share on twitter
Share on email

Publicações em Alta

Após nova onda de Covid-19, Prefeitura de Caldas Novas endurece medidas de contágio da doença

Meio Ambiente leva audiências de autocomposição para Itumbiara

Prefeitura e Câmara se unem em Caldas Novas e consolidam parceria para construção de Hospital Evangélico no município

Goiás Turismo abre licitação para investimentos no Caminho de Cora